O diretor Japonês Seijun Suzuki morre aos 93 anos

O diretor japonês Seijun Suzuki morreu no dia 13 de fevereiro em um hospital de Tóquio após uma batalha contra uma doença pulmonar crônica. Ele tinha 93 anos.

Sua morte foi anunciada por Nikkatsu, o estúdio que o despediu em 1967, depois de 12 anos e 40 filmes, sua obra-prima é “Branded to Kill“. O filme foi feito em preto e branco como uma punição por seu trabalho em “Tokyo Drifter“, agora também considerado um clássico no ano anterior.

Seijun Suzuki fez sua estréia como diretor com o “Harbour Toast: Victory Is in Our Grasp” em 1956, e desde então ele continuou a influenciar fãs e cineastas em todo o mundo com filmes como “Tokyo Drifter“, “Branded to Kill” e “Zigeunerweisen “.

Nikkatsu em um declaração falou: “Nós expressamos aqui as nossas mais profundas condolências e nossa profunda gratidão e respeito por seu trabalho ao longo da vida.”

Suzuki passou a encontrar trabalho como ator e celebridade de televisão no Japão, antes de ganhar reconhecimento internacional, onde trabalhou com “Quentin Tarantino“, “Jim Jarmusch“, “Wong Kar-wai” e “Takeshi Kitano” todos saudando seu gênio criativo e influenciador.

Zigeunerweisen” foi exibido no festival de cinema de Berlim em 1980, mais tarde foi eleito o melhor filme da década por críticos de cinema no Japão.

Seu filme final foi “Raccoon Princesa” em 2005.